terça-feira, 25 de novembro de 2008

Meu primeiro relato

O post dessa vez é um relato meu. Na verdade, meu primeiro relato. Comecei no Budismo de Nitiren Daishonin em Fevereiro de 2008. As minhas primeiras reuniões foram num bloco na Barra da Tijuca, RJ. Baseado no que se falava nas reuniões, comecei no estudo dessa filosofia maravilhosa, pois eram muitas perguntas no início.
Tive a sorte do Luciano, instigar o meu espirito de procura e me alimentar com muitos textos.
Meu relato, na verdade é em 2 partes, antes do Gohonzon e depois.
Junto com o estudo, comecei a praticar firme e regularmente. Fazia todos os dias Daimoku pela manhã e pela noite, olhando para um ponto na parede. Não sabia ainda qual era a liturgia, o que era Gongyo ou Sancho. Eu sabia que tinha de repetir Nam myoho rengue kyo sem parar, e era o que eu fazia.
A minha primeira determinação foi algo meio inconsciente. Eu sou skatista das antigas, um dos precurssores no Brasil e trabalho com skate na TV ha mais de 20 anos. No ano passado fui para os Estados Unidos gravar alguns campeonatos em pistas de skate, e me chamou a atenção como estava crescendo a categoria chamada Old School ou Masters com os skatistas mais velhos, muitos com mais de 40 anos de idade. No Brasil a coisa do Old School também já estava acontecendo e desejei poder estar dentro de alguma maneira. Olha que me chega um email do editor de uma revista de Skate que queria fazer uma matéria comigo para uma edição especial sobre Old School, só com skatistas com mais de 30 anos!!! Eu disse que tinha mais de 50! "Mas você tem de fazer parte da revista, pois você é parte da história do skate nacional e tal..." foi a resposta. É claro que topei, né? Fiz a entrevista e as fotos. Foi muito legal, pois tinha tempo que eu não fotografava. Ainda não havia ligado isso ao Daimoku, eu só tinha ido a umas 3/4 reuniões na casa Ana. O bloco logo se multiplicou e eu acabei indo para o recém formado Bloco Mandala, também na Barra.
Foi lá que a Monica me deu o livrinho com o Gongyo. Aprendi a liturgia completa e comecei a recitar em casa além do Daimoku, também o Gongyo todos os dias pela manhã e à noite. Num belo dia chega um email de um outro amigo que trabalhava na mesma revista que tinha me entrevistado e me diz assim: "se liga mané, vc é a nova capa da SKT! Parabéns!" Foi aí que a ficha caiu!


Depois dessa rapidinho fui receber o meu Gohonzon, que aconteceu no dia 22 de maio de 2008!
Aí vem a segunda a parte do relato.
Ia acontecer um campeonato de Old School no Rio Grande do Sul numa pista de skate nova, no tipo de terreno que eu gosto de andar. Eu estava numa maré de pouco dinheiro mas queria de qualquer maneira participar desse evento. Então eu sentei em frente ao Gohonzon e determinei: "Vou prá esse campeonato e de graça, sem gastar nada." E atacava de Nam myoho rengue kyo direto, só desafiando, "eu vou, e vou de graça sem gastar nada." Numa troca de emails entre o pessoal que ia correr o campeonato começou a surgir uma tal "vaquinha" pra trazer o Cesinha" pois sendo eu o mais velho tinha de estar lá e coisa e tal. Bom... E eu só no Daimoku. "Vai dar certo!" Nam myoho rengue kyo. Um dia, recebo um email de um amigo que não tinha notícias há mais de uma década, dizendo: "Cesinha véio, o alemão pagou prá tu vires .... anota o número do PTA!!!" Aí foi tudo show! Corri o campeonato, fiquei em 11º, deixando 13 jovens para trás. Ainda falei de budismo para algumas pessoas, duas delas já são chakubukus meus, um em São Paulo e outro em Santa Catarina.
Para quem tiver curiosidade de ver como foi esse campeonato, aqui tem um link para um programa que passou na ESPN.