sábado, 9 de maio de 2009

A morte de cada dia

Nós estamos acostumados a ligar a palavra morte apenas à ausência de vida e isso é um erro. Existem outros tipos de morte e precisamos morrer todo dia. A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação. Não existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta. Isso é óbvio!
A morte nada mais é do que o ponto de partida para o inicio de algo novo. Ë a fronteira entre o passado e o futuro. Se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo que acha que ainda tem muito tempo pela frente. Quer ser um bom profissional? Então mate dentro de você o universitário descomprometido que acha que a vida se resume a estudar só o suficiente para fazer as provas. Quer ter um bom relacionamento? Então mate dentro de você o jovem inseguro ou ciumento ou o solteiro solto que pensa poder fazer pianos sozinho, sem ter que dividir espaços, projetos e tempo com mais ninguém.
Enfim, todo processo de evolução exige que matemos o nosso “eu’ passado, inferior. E, qual o risco de não agirmos assim? O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo essa produtividade, e, por fim, prejudicando nosso sucesso. Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser. Elas querem a nova etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam. Acabam se transformando em projetos acabados, híbridos, adultos infantilizados. Podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que não matemos as ‘virtudes de criança que também são necessárias a nós, adultos, como: brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade etc. Mas, se quisermos ser adultos, devemos necessariamente matar atitudes infantis, para passarmos a agir como adultos.
Quer ser alguém (líder, profissional, pai ou mãe, cidadão ou cidadã, amigo ou amiga) melhor e mais evoluído? Então, o que você precisa matar em si, ainda hoje, para que nasça o ser que você tanto deseja ser!? Pense nisso e morra!
Mas, não esqueça de nascer melhor ainda! O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. Analise bem sua vida, observe o que não está dando certo e veja onde você está resistindo a mudanças; muitas vezes, com pouco tempo para se conhecer, acaba boicotando seu próprio sucesso, sua realização, suas possibilidades de amor ou de felicidade, sem ao menos saber que está sendo seu pior inimigo.
Colaboração: VMA, Hantyo do Bloco da BSGI Parc des Prince, Barra, RJ

16 comentários:

Anônimo disse...

ola, hoje pela manha estava fazendo daimoku com uma grande angustia em meu coraçao e buscava a resposta para esse sentimento.
quando cheguei do trabalho , as 22h,o primeiro site que abri foi o buda na web e li a materia...era exatamente a resposta que buscava!
parabens pelo site! nam-myoho-rengue-kyo !
doris (dorisidiomatica@hotmail.com)

Cesinha Chaves disse...

Doris
fico muito fico muito feliz em ouvir que a matéria "A morte de cada dia" tenha lhe tocado e lhe aberto uma direção para uma resposta para a sua angústia! Continue com o Daimoku, sempre, pois ele é que nos transforma em pessoas melhores e felizes.
Grande abraço.

Luiz disse...

Sou budista. Sempre estou vendo o que aparece na rede sobre budismo e caí aqui. Embora trate-se de Nitiren e não budismo, achei seu blog interessante. Principalmente porque você se dispõe a dialogar, coisa rara entre os adeptos da sua religião! Sim, eu conheço bem o nitirenismo, bem a soka gakkai! Então eu gostaria de dialogar com você. Não para questionar sua religião, que eu respeito como todas as outras, mas para entender porque vocês insistem em chamar de budismo uma coisa tão distinta! Eu, na verdade, considero mesmo um desreipeito com uma tradição religiosa com mais de 2500 anos! Quero entender como pessoas inteligentes podem assumir que repetir uma frase que é um nome em japonês/chinês de um grupo de textos compilados milhares de anos após a morte do Buda, cheio de influências culturais e históricas distintas, pode ter algum valor e, pior, representar alguma "verdade"! Claro que, salientando mais uma vez, não vou questionar a validade dessa prática. Há pessoas que curaram-se de câncer tomando pílulas de trigo! Isso é largamente documentado! Com fé, qualquer frase ou coisa acaba tendo algum efeito! Agora, dizer que isso é budismo é que é o problema que eu quero questionar e demonstrar que está errado! Espero contar com a sua atenção! E gostaria de que fosse público o nosso diálogo, para que mais pessoas da sua religião possam participar e conhecer pontos de vista distintos.

Luiz disse...

Caro Cesinha,
sou budista e sempre navego em busca do dharma pela web. Caí aqui. E, embora não seja um site sobre budismo, achei interessante que você se proponha ao diálogo, coisa rara entre os adeptos do nitirenismo. Então, gostaria de dialogar com você para entender porque razão vocês insistem em usar o nome budismo para uma religião que quase nada tem a ver com os ensinos originais do Buda, dados há mais de 2500 anos e mantidos atuais e aplicáveis até hoje por inúmeras tradições budistas. Podemos conversar?

Luiz disse...

Esqueci de por o meu email:
luricfax@gamil.com

Cesinha Chaves disse...

Luiz, vou entrar em contato com vc via email, e com mais calma tentar lhe explicar a perspectiva do Budismo de Nitiren Daishonin. Só não o fiz há mais tempo, pois você nos seus comentários anteriores não quis se identificar nem deixar um link para contato. Aguarde que em breve lhe dou um retorno.

Cesinha Chaves disse...

Caro Luiz, aqui tem a sua resposta. Intercalei com as suas perguntas para ficar mais claro: (L = Luiz, C = Cesinha)

(L) Caro Cesinha, sou budista.

(C) Gostaria de saber um pouco mais. Budista de que linha? Pratica há quanto tempo e onde? Qual a sua prática? Onde você mora, o que é ser budista para você, é a sua religião ou filosofia de vida?

(L) Sempre estou vendo o que aparece na rede sobre budismo e caí aqui. Embora trate-se de Nitiren e não budismo, achei seu blog interessante.

(C) O Budismo de Nitiren Daishonin, é a síntese do Budismo de Sakyamuni Nitiren é o Buda Original Dos Últimos Dias Da Dei, portanto Nitiren Daishonin é Budismo... Aqui no blog tem um resumo da história de Nitiren -> http://www.budanaweb.com/2009/02/nitiren-daishonin.html
Nitiren se iluminou pelo Sutra de Lótus e criou um Budismo de fácil acesso a todos, leigos ou religiosos, coisa que na época de Sakyamuni ficava muito restrito aos monastérios , religiosos, reclusos da civilização e pessoas letradas.

(L) Principalmente porque você se dispõe a dialogar, coisa rara entre os adeptos da sua religião!

(C) Pelo contrário. Adoramos dialogo e não atacamos ninguém, seja publicamente ou anonimamente.
Nós da Soka Gakai temos o diálogo como base de nossa prática.
Se você conhece o "nitirenismo" deveria saber que o presidente Ikeda foi perseguido no pós guerra e hoje é a figura mais condecorada no mundo por suas ações em prol da paz, diálogo com diversos líderes, e exemplo de humanismo. Todos os anos dialogamos com o mundo através de reiteradas propostas de paz à ONU, sendo oportuno ressaltar que paz não significa ausência de guerra, mas o início de um caminho do meio através do respeito e diálogo, exatamente como estamos fazendo. Mais oportuno se faz esclarecer que nosso diálogo deve ser aberto e público. Primeiro, porque não temos nada a esconder; depois por estarmos propagando a Lei Mistica; e por fim, a Lei é de Causa e Efeito, e temos ciência disso.

(L) Sim, eu conheço bem o nitirenismo, bem a Soka Gakkai!

(C) O que você conhece? Através de qual veículo conheceu o Budismo Nitiren?

(L) Então eu gostaria de dialogar com você. Não para questionar sua religião, que eu respeito como todas as outras, mas para entender porque vocês insistem em chamar de budismo uma coisa tão distinta!

(C) Se respeita como diz, por que ataca aqui no blog, primeiro por via anônima?
Veja bem, você só se identificou depois que eu comecei a intermediar os comentários, pois nos seus posts, todos anônimos, além estarem ficando cada vez mais agressivos, você não deixava contato para que pudéssemos retornar e responder.
Respeito é a palavra chave, como ressaltado por você, a Lei é de Causa e Efeito, assim respondemos invariávelmente por nossas ações. Estamos dispostos a lhe ajudar a esclarecer suas dúvidas. Pois somos seres humanos, somos iguais, sem subordinação religiosa, e ninguém é melhor do que ninguém. Entendo que às vezes o ataque seja a melhor defesa, mas ao longo de nosso diálogo, você poderá ver que se a Lei é de Causa e Efeito, devemos nos preoucupar em fazer boas causas, essa é a nossa postura.

(L) Eu, na verdade, considero mesmo um desreipeito com uma tradição religiosa com mais de 2500 anos!

(C) Você está mal informado, leia mais no blog e poderá entender tudo de uma forma mais clara. Ao final tenho certeza que sua opinião irá mudar.
Depois da morte de Sakyamuni o Budismo gerou inúmeras correntes, basicamente resumidas a Rynaiana e Mahayana (procure ler mais sobe isso).
O Budismo de Nitiren Daishonin é a essência dos ensinamentos e práticas de Sakyamuni.
A era de Sakyamuni foi outra, conhecida como Os Primeiros Dias da Lei. E o Budismo de Nitiren é para agora, os Últimos Dias Da Lei.


(L) Quero entender como pessoas inteligentes podem assumir que repetir uma frase que é um nome em japonês/chinês de um grupo de textos compilados milhares de anos após a morte do Buda, cheio de influências culturais e históricas distintas, pode ter algum valor e, pior, representar alguma "verdade"!

(C) Na verdade Nam myoho rengue kyo é uma fusão de sânscrito com japonês, pois era a lingua usada pelo Buda naquele momento histórico. Se tivéssimos um Buda em vida aqui no Brasil, certamente iria falar na lígua local! =)
A “frase” Nam myoho rengue kyo foi concebida após anos de estudos, e depois que Daishonin se iluminou através dos textos de Sakyamuni (em especial o Sutra de Lotus).
O importante aqui é que o mantra não foi cunhado por um religioso, escriba ou estudioso, mas sim pelo próprio Buda Nitiren em vida, iluminado, com a percepeção total de todos os fatores da vida!
O som da recitação do Nam myoho rengue kyo age em você de uma forma que transforma o seu eu interno, seja químicamente, intectualmente ou espiritualmente.
Uma rápida tradução do “mantra” seria “Eu me devoto aos ensinamentos do Buda sobre a Lei Mística da Causa e Efeito”
O que você chama de repetir uma frase, na verdade é orar Nam myoho rengue kyo, é o que fazemos.
Através dessa prática fundimos nossa vida com o universo, sentimos os efeitos e benefícios, pois Budismo é prova real e vida diária, e deve ser praticado com sabedoria. Para entende-lo é necessário possuir sabedoria, e encontra-lo nesta existência é uma enorme boa sorte, podendo se comparar a encontar um grão de areia no fundo do oceano.
Quanto ao valor ou não dos escritos, é uma questão de fé e se atribuir uma energia e valor. Por exemplo o dinheiro, a nota que está na sua carteira é um pedaço de papel, em tese não vale nada, mas você e a sociedade atual atribuiram-lhe um valor e uma energia, e por isso você o utiliza no consumo diário.
Quanto a verdade, para nós representa “uma” verdade, assim o entendemos. Mas não significa que seja a verdade absoluta para os demais seres humanos, cada um tem seu entendimento.
 
(L) Claro que, salientando mais uma vez, não vou questionar a validade dessa prática.

(C) Nós acreditamos que questionar faz parte, é assim que se aprende. Se informando e podendo finalmente ter uma melhor conclusão.

(L) Há pessoas que curaram-se de câncer tomando pílulas de trigo! Isso é largamente documentado! Com fé, qualquer frase ou coisa acaba tendo algum efeito!

(C) Sim, fazemos a prática da fé. Somente se pode penetrar através da fé, neste ponto não importa sua prática religiosa, mas sim o tamanho da sua fé, é o que vai resolver. O Budismo de Nitiren não exclui nenhuma outra religião, ao contrário, todas são válidas e acredito que para os demais também sirvam para conduzi-los a iluminação.

(L) Agora, dizer que isso é budismo é que é o problema que eu quero questionar e demonstrar que está errado!

(C) Não existe nada de errado com o Budismo de Nitiren Daishonin.
Assim como não existe nada de errado com o Zen, o Terra Pura. Terevada e outras linhas de budismo, pois todos se originaram dos ensinos de Sakyamuni.
Quando você diz que “está errado”, você fecha sua visão e não enxerga, ou não quer enxergar mais nada. Dessa forma você vai de encontro à nova ordem mundial, como por exemplo o contexto “Open Mind” utilizado amplamente pelo Presidente Obama. Ao viver no mundo hermético, você estará limitado para a vida como um todo, não sendo a postura mais adequada. Mas temos a certeza de que nosso diálogo, com humildade e respeito poderá lhe ajudar muito neste ponto.

(L) Espero contar com a sua atenção!

(C) E nós com a sua, e a sua boa vontade, deixando de lado todo e qualquer rancor. Você tem toda a nossa atenção, diálogo e respeito.
O blog foi feito com o intuíto de auxiliar a todos.

(L) E gostaria de que fosse público o nosso diálogo, para que mais pessoas da sua religião possam participar e conhecer pontos de vista distintos.

(C) Com certeza isso será postado para esclalecer a todos, adeptos ou não do Budismo de Nitiren Daishonin. Espero que pelo menos tenha dado um passo em direção ao entendimento. Ah! Por favor no futuro assine seus comentários para ter uma resposta mais rápida! Boa sorte, em tudo!

Anônimo disse...

cezinha: so discordo de vc em uma coisa: quando vc diz que nao ha nada de errado nas outras linhas de budismo....estamos numa luta constante para a propagaçao do verdadeiro budismo nitiren!as outras vertentes tem visoes "autisticas"(hinayana/mahayana provisorio), e as que se dizem seguidoras de nitiren, tem diferenças bem gritantes da linha SGI, haja visto a ruptura com a nitiren shoshu em 1991.
doris

Cesinha Chaves disse...

Doris
Eu cerio que não se deve falar mal de outras religiões, só porquê seguimos o Budismo de Nitiren Daishonin. As outras linhas do Budismo podem ser vistas como ensinos provisórios e portanto, não são errados, pois provêm dos ensinamentos de Sakyamuni. Veja, seria quase o mesmo que alguém que está numa Universidade dizer que o que se ensina no Ginásio não é correto. Creio ser mais interessante olhar para o que temos em comum em vez de focarmos nas diferenças. Trilhemos o caminho do meio, e sigamos assim na propagação do positivismo do Budismo de Nitiren Daishonin.

Marcelo Sanca disse...

OLá Cesar. Sou novo aqui no seu blog e gostaria inicialmente de parabenizá-lo pela bela iniciativa de propagar o budismo de Nitiren Daishonin nele. Com relação à discussão acima, também concordo com vc que devemos respeitar todas as outras religiões, porém, apesar de saber que nenhum ensino de Sakyamuni está errado, e, seguindo as orientações de Nitiren, não posso concordar com vc quando diz: "não existe nada de errado com o Zen, Terra Pura, Teravada e outras linhas de budismo", pois o próprio Nitiren passou sua vida refutando esses ensinos como podemos confirmar lendo apenas o Rissho Ankoku Ron ( A Pacificação da Terra através da Propagação do Verdadeiro Budismo). Claro que devemos respeitar a escolha de outras pessoas, mas creio que não podemos nos esquecer da luta do Buda Original para estabelecer o Verdadeiro Ensino para a felicidade de todas as pessoas. Muito grato pela atenção e mais uma vez parabéms pelo belo trabalho.

Marcelo Sanca

Cesinha Chaves disse...

Grato Marcelo. Volte mais vezes e comentários sempre são bem vindos.
Abraço e boa sorte.

Pauline Machado disse...

Cesinha, gostaria, primeiramente, de agradecer pelo belo (e sábio) texto sobre morrer todo os dias. Sinceramente me vejo morta viva presa à convenções ultrapassadas e teno consciência disso. Saiba que seu texto surgiu como um empurraõzinho para mim. Obrigada.
Em segundo lugar, parabenizo pelo blog e por sua maneira fácil de explanar suas idéias e todos os ensinamentos do budismo. Minha irmã é budista e tenho, através dela, vivenciado as práticas budistas e já vi de perto as mudanças em minha irmã e minha família. Eu pratico, mas só agora estou, como vocês dizem, desafiando o daimoku. Vamos ver quando chegarei lá! rs
Enfim, passei seu blog para amigos que também estão praticando o nam-myoho-rengue-kyo.
Um forte abraço, Pauline.

Cesinha Chaves disse...

Pauline
é como diz o ditado " a prática traz a perfeição"!
A prática do Nam myoho rengue kyo é que transforma. Quanto mais recitamos Daimoku, mais as coisas entram em sintonia. Você já teve a oportunidade de ver isso acontecendo com a sua irmã, como mesmo disse, e agora vai evidenciar isso na sua vida!
Que boa sorte a sua!

jefferson disse...

Gostaria de ressaltar ao amigo Luiz que Nitiren revelou o Daimoku após profundos estudos dos Sutras de Sakyamuni, assim como um cientista que se utiliza de várias substâncias para enfim chegar a fórmula de um medicamento para a cura de uma doença, onde pelo simples fato de tomá-lo nos leva a cura. Assim tb é o Nam Myo Ho Rengue Kyo em nossa vida.

Joabulhoes disse...

Ola..Seu blog ta muito bom. me ajuda muito nas RDP..eu coloquei sua pesquisa na meu orkut....muito legal mesmo..valeu .

fabiana pinto de souza disse...

Ola me chamo fabiana p.de souza, Gostaria de dar os parabens adoro seu blog.sou Discipula de Niten com muito orgulho,mais uma vez parabens, meu E-meil,fa.p.s@hotmail.com. de cachoeirinha rs