quinta-feira, 30 de julho de 2009

Atividades Suspensas

Visando atender as recomendações dos órgãos oficiais da área de saúde bem como de minimizar ao máximo a possibilidade de contágio pelo vírus da Gripe Influenza A (H1N1) entre os nossos companheiros, a BSGI suspendeu todas as atividades até o dia 16 de agosto, domingo. As visitas e reuniões de bloco estão, desta forma, suspensas até que a situação se normalize.
Felizmente, não se tem conhecimento de nenhum caso de infecção por parte de algum membro da BSGI, no entanto é possível constatar por meio dos noticiários de que a sua disseminação avança de maneira alarmante em todos os cantos do país. Vamos continuar a nos comunicar por telefone, email ou mesmo aqui pelo blog.

Budismo é razão. É oração e ação. Nesse momento, intensifique o seu Daimoku e redobre a atenção no seu dia a dia. Com algumas simples ações você pode se prevenir, e ajudar a conter a propagação desse vírus. Siga as recomendações do
Ministério da Saúde:
- Lave as mãos com água e sabão (depois de tossir ou espirrar; depois de usar o banheiro, antes de comer, antes de tocar os olhos, boca e nariz)
- Evite tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies
- Prefira o uso do lenço de papel descartável
- Proteja com lenços a boca e nariz ao tossir ou espirrar
- Evite aglomerações e ambientes fechados (deve-se manter os ambientes ventilados)
- É importante que o ambiente doméstico seja arejado e receba a luz solar, pois estas medidas ajudam a eliminar os possíveis agentes das infecções respiratórias

quarta-feira, 29 de julho de 2009

O significado do Juzu

O Post de hoje é um video feito a partir de um slide show do Sandro Ribeiro do site As Mais Belas Histórias Budistas sobre o significado do Juzu.


terça-feira, 28 de julho de 2009

Para que serve a filosofia de Nichien Daishonin?

O post de hoje, um Editorial do jornal BS, de 26/07/1997, explica muito bem para que serve a filosofia de Nichiren Daishonin.


"Muitos conhecem indivíduos que não praticam a filosofia de Nichiren Daishonin e, no entanto, são pessoas vitoriosas e que alcançaram grande sucesso na vida.
De uma forma geral, basta um pouco de dedicação profissional para, ao longo dos anos, conseguir uma carreira de sucesso.
No caso dos estudantes, basta um pouco de empenho nos estudos para ter uma boa base escolar e, no tempo adequado, conseguir uma vaga em uma universidade.
Venhamos e convenhamos: Em todos os campos de atividade, basta um pouco de bom senso, dedicação, honestidade e sinceridade para alguém ser vitorioso na vida. O próprio presidente Ikeda, em seus discursos, cita vários exemplos de personalidades que realizaram obras grandiosas na história e jamais conheceram a filosofia de Nichiren Daishonin.


Para que ela serve então?
Na realidade, este seria um tema de editorial a ser abordado de forma mais ampla, além das limitações deste espaço. No entanto, como alguns já questionaram esse assunto, aqui vão três pontos para reflexão:
Em primeiro lugar, a filosofia de Nichiren Daishonin objetiva atuar num nível mais profundo da vida, proporcionando a revolução humana de cada pessoa, fazendo com que ela transforme seu carma negativo ( e para isso não basta apenas bom senso) e possibilitando que manifeste sua fé em todas as instâncias da vida, de tal forma que seu trabalho passa a ser um campo de manifestação de sua fé, assim como sua vida familiar, sua vida escolar e assim por diante.
Em segundo lugar, muitos confundem a prática dessa filosofia com conquistar objetivos efêmeros e muito deles materiais, como fortuna e posição social. Esquecem-se que tais objetos são apenas meios de se comprovar a validade dessa filosofia e não fins em si. Os objetivos dessa prática, na verdade, não se restringem a uma determinada existência, mas visam as três existências do passado, presente e futuro.
Em terceiro lugar, praticar a filosofia de Nichiren Daishonin é estar consciente de sua missão como Bodhisattva da Terra, ou seja, estar consciente de sua missão de propagar um ideal humanístico, de amenizar o sofrimento das pessoas e de construir um mundo pacífico. E para tanto, são de fundamental importância as atividades realizadas na organização, pois eles são o campo de atuação dos Bodhisattvas da Terra.
Praticar essa filosofia é algo muito mais profundo do que normalmente imaginamos."
Fonte: BS n.º 1423 de 26/06/97 Seleção do Texto: Doralice e Paulo Bruno – 08/08/97. Han Lagoa Mar, da BSGI.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Amy Winehouse torna-se Budista!


Hoje quero dividir com vocês um link que recebi pelo Twitter da @sandaarai, uma budista de São Paulo. A notícia, que reproduzo aqui, foi escrita por Fabrício Pessoa, e vem do blog http://conspirar.wordpress.com/.
O ano de 2008 parece terminar deixando perspectivas de muitas transformações nas vidas das pessoas (comigo inclusive!!!), o que é ótimo, afinal mudanças sempre são boas (inclusive as negativas, acredite)!!!
E é o que está justamente acontecendo com a cantora Amy Winehouse (que eu gosto muito!).
Pra quem não percebeu, ela começou o ano ameaçando se matar por causa da prisão do marido, brigava com a imprensa e com fãs e seguia cada vez mais fundo na sua dependência de álcool e drogas.
Pois bem… já perceberam o quanto ela mudou recentemente?
Não?
Bom, pra você ter uma idéia ela se separou do marido, tem uma relação bem melhor com a imprensa (ao ponto de entregar sanduíches para paparazzis na porta de sua casa mês passado, e pousar para os mesmos no Caribe essa semana), e parece estar lidando melhor com os vícios.
Essa mudança positiva parece ter uma razão: a decisão de Amy de praticar o Budismo.

Incentivada pelo guitarrista de sua banda, que é membro da organização Soka Gakkai, Amy tem aprendido diversos preceitos budistas – dentre os quais a recitação do mantra “Nam Myoho Renge Kyo” – e ao que parece eles tem ajudado mesmo a artista a dar a volta por cima na sua carreira.
Enfim, 2009 poderá ser um grande ano para Amy, e quem mais sai ganhando com isso – além dela mesma – são todos os seus fãs e todos os fãs da boa música.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

O significado da felicidade

Recebi este texto por email de um amigo, que por sua vez já havia recebido de outra amiga e repassado para outras tantas pessoas, e que agora divido com vocês aqui no Buda Da Web.

O significado da felicidade

Quando as necessidades ou desejos de uma pessoa são realizados, ela sente felicidade, mas a simples realização dos desejos não pode sustentar este sentimento de felicidade. Mesmo apesar de não estar totalmente satisfeita com sua vida atual, pode sentir que é mais feliz do que antes. Porém, ninguém é continuamente feliz. Por melhor que seja a situação, há também momentos ruins.
Tal felicidade é essencialmente relativa. Uma felicidade mais profunda e duradoura não depende do objeto do desejo ou da necessidade, nem do próprio passado, nem da vida do vizinho, tampouco de qualquer outro fator externo. O principal ingrediente para essa felicidade encontra-se na própria vida. A felicidade está diretamente relacionada ao grau em que se pode extrair a própria força vital e à esperança no futuro. De maneira contrária, se uma pessoa não tem essas qualidades, ela compara o seu presente com o passado ou com o seu ambiente. A felicidade por comparação é, na verdadeira essência do termo, a “felicidade relativa”.


Para compreender a diferença que pode fazer a própria força vital, imaginemos dois alpinistas. Escalar um pico escarpado infligiria uma dor insuportável a uma pessoa comum, mas pode proporcionar um prazer inesquecível a um alpinista. Quanto mais alto, escarpado e difícil for o penhasco, maior a alegria e satisfação de desafiá-lo e conquistá-lo. As dificuldades na vida são como uma montanha escarpada. Se a pessoa encontra a felicidade apenas no conforto, evitará muito do que vale a pena na vida. Tal atitude é essencialmente negativista e escapista. Quando chegamos a tal ponto, o conforto é um período de descanso e não é acompanhado por uma grande dor nem por uma profunda alegria.

Todas as atividades humanas objetivam a felicidade. O budismo, assim como as outras religiões, ensina às pessoas como viver para conquistarem uma vida feliz. No entanto, muitas religiões encorajam seus crentes a orarem para que algo místico, uma força transcendental, elimine os problemas da vida. Então, se as pessoas são religiosas ou não, também tentam com freqüencia evitar as dificuldades e os problemas. O budismo mostra o caminho para uma nova vitalidade e uma profunda sabedoria, ensinando que os seres humanos devem inspirar-se a desafiar, e não a evitar, quaisquer dificuldades que enfrentarem e transformá-las em felicidade com o desenvolvimento de sua própria força vital. Superar o sofrimento em vez de fugir dele é uma atitude criativa de desafio e coragem, e é essa atitude que leva à felicidade absoluta.
Texto extraído do livro "Fundamentos do Budismo", Editora Brasil Seikyo, © 2004
Enviado por Sergio Noronha, Vice Hantyo Bloco Mandala, CRJ

sábado, 11 de julho de 2009

O vôo dos gansos

Há algum tempo recebi um Power Point muito interessante, fazendo uma analogia da nossa vida com o vôo dos gansos. Agora posto aqui o link para dividir com vocês.
Click no retângulo com a seta escrito "full" para ver em tela cheia.
Se quiser você pode baixar o PPS com som para o seu computador, é só clicar aqui.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Documentário a vida de Shakyamuni legendado

Atendendo a pedidos, procurei na web as legendas em português e montei essa versão do excelente documentário The Life Of Buddha feito pela BBC, que mostra a história do Príncipe Sidharta na sua jornada espiritual que o tornou o Buda Shakyamuni, que significa literalmente Sábio do clã dos Sakya.