domingo, 23 de janeiro de 2011

Esho Funi - Inseparabilidade da vida e do meio ambiente

"ORIGEM DEPENDENTE

O budismo usa o termo “origem dependente” ( engui ) para descrever relações simbióticas. Nada nem ninguém existe em isolamento. Cada existência individual atua para produzir no ser o ambiente no qual, em troca, mantém todas as outras existências. Todas as coisas, mutuamente apoiadas e relacionadas, formam um cosmos vívido, o que a moderna filosofia poderia denominar um todo semântico.
( “ O Budismo Mahayana e a Civilização do Século XXI ”, discurso do presidente Ikeda na Universidade de Harvard, 24 de setembro. )
O budismo expõe a relação entre a vida humana e seu meio ambiente ( Esho Funi). Um ser vivo e seu ambiente são dois fenômenos independentes, porém unos em sua existência fundamental.


DEFINIÇÃO

Literalmente, Esho Funi tem o seguinte significado: Esho é a combinação das primeiras sílabas de E-ho e Sho-ho. Shoho denota o sujeito, dotado de vida, ou algo que realiza as atividades associadas à vida. Eho denota o objeto que apóia o shoho. Portanto, Shoho são os seres vivos e Eho o seu meio ambiente. O primeiro pode ser comparado ao objeto, e o segundo à sua sombra, sendo portanto evidente a impossibilidade da existência isolada de qualquer deles.
Funi significa dois como fenômenos, porém, não dois como números. Esho Funi significa que um ser vivo e o seu ambiente são dois fenômenos independentes, porém unos em sua existência fundamental. É inegável o fato de o homem e o seu ambiente serem inseparáveis; porém, o Esho Funi não é uma mera explicação da relação inseparável entre os dois. Significa sim, que um ser vivo e o seu ambiente formam uma vida única e completa, nenhum pode existir separadamente.


VIDA E AMBIENTE

Uma passagem das escrituras budistas diz: “ Sem a vida, o meio ambiente não pode existir....”, ou seja, a vida e seu ambiente são dois aspectos integrantes de uma mesma entidade. O ambiente, que abarca todo fenômeno universal, não pode existir exceto numa dinâmica relação com a atividade internamente gerada da própria vida.

“ Cada vida é individual e, enquanto se manifesta neste mundo, a existência particular formada simultaneamente configura um meio ambiente com o qual seja compatível. Para ver a verdade disso basta olhar as circunvizinhanças de uma pessoa particular, pois - nesse meio - podemos distinguir claramente todas as inclinações e características da sua vida. Se tentarmos imaginar um ser humano sem meio ambiente, não estaremos falando de nada, configurando-o miticamente.



CONDIÇÃO DE VIDA

“ Na medida que a vida estende sua influência à circunvizinhança, o meio ambiente automaticamente muda de acordo com a condição da vida. Então, o meio ambiente - que é reflexo da vida dos seus habitantes - sempre adquire as características dos que nele existem.”
( Vida - Um Enigma, uma Jóia Preciósa, pág. 173.)


AMBIENTE: REFLEXO DA VIDA

Conforme o exposto acima, uma pessoa que vive em meio à guerra e agonia nunca poderá dizer que se encontra no estado de Alegria, ou vice - versa. A condição interna da vida de uma pessoa manifesta-se em seu ambiente ou, o ambiente reflete a vida de quem o habita.



HARMONIA

Nesse contexto, podemos concluir que a harmonia é um fator essencial para a vida. Assim, a questão mais importante é gerar essa harmonia atráves das fontes de energia e sabedoria existentes dentro de nós, tendo como base o respeito pela dignidade da vida.
Desenvolver ou fazer reflorescer o respeito, a amizade, o amor, etc., sentimentos essenciais para a relação homem / homem, homem / ambiente, é essencial para que se possa criar essa harmonia."
Fonte: T.C. nº 304, págs. 33 e 34 de 12/93;
Seleção de texto: Doralice e Paulo Bruno