quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Qual a língua que recitamos o Gongyo?

Essa é uma dúvida comum a todos que se deparam pelas primeiras vezes com a recitação do Gongyo.
Recentemente entrei em contato com o DEB através do Sr Paulo Kyoshi Endo a fim de obter maior esclarecimento sobre essa questão - a língua que recitamos o Gongyo:

"Ao DEB:/Sr Paulo Endo.
(…)
O motivo para o meu contato desta vez é uma dúvida em relação ao Gongyo. 
Pelo que li, o Gongyo (hoje em dia) é formado por duas partes do Sutra de Lótus,  Hoben (meios) - o início da parte em prosa do 2º capítulo, e Juryo (revelação da vida eterna do buda) - o último trecho do 16º capítulo, em verso.
(…)
A dúvida é, o Myoho-renge-kyo é a tradução do sânscrito Saddharma Pundarika Sutra, 
que é o título do Sutra de lótus traduzido para o Chinês por Kumarajiva no ano de 406, correto?
Não seria chinês a língua em que recitamos o Gongyo?
(…)
Tenho um livreto com o Gongyo onde tem 3 séries de caracteres,
o de baixo é como pronunciamos, os 2 de cima seriam  japonês e chinês?"

Segue a pronta resposta elucidativa do Sr Paulo Endo, a quem agradeço mais uma vez atenção.

"Olá, boa noite.

Nós recitamos o Gongyo, lendo os ideogramas chinês (traduzidos por Kumarajiva a partir do sânscrito) em japonês. Como o japonês é originado do chinês, os seus ideogramas são originalmente os mesmos. Porém, o fonema da leitura dos ideogramas é diferente no japonês e no chinês. No livro do Gongyo que você menciona, a linha principal no meio são os ideogramas chinês. Na linha logo acima está descrita a forma de leitura destes ideogramas em japonês; e na linha inferior está descrita esta mesma forma de leitura em alfabeto português.

Os ideogramas chinês do Gongyo, se lidos por um chinês, os fonemas seriam outros (o próprio Myoho renge kyo seria diferente), mas ao recitarem o Gongyo, eles o fariam exatamente da mesma forma que nós o fazemos. Portanto, em qualquer idioma, o Gongyo é recitado exatamente da mesma forma.

Att

Paulo K. Endo"

9 comentários:

jorge emanuel espinho disse...

Caro Cesinha,

Muita gratidão pelo seu blog, pela sua generosidade ao partilhar tanta informação e experiência!

Comecei há três dias a recitar o Daimoku, e a energia já se sente mudando, ficando mais leve, mais ligada, mais fluida...

Enviei mail para informacoes@bsgi.org.br pedindo info sobre grupo de estudos que possa frequentar para aprofundar os meus conhecimentos e prática, ainda bem iniciais mas já bem decididos! Como não obtive resposta venho perguntar-lhe se poderia me ajudar: Moro em Copacabana, no bairro Peixoto, tenho 44 anos, escrevo sobre arte e sou tarólogo.

Muito obrigado, seguirei acompanhando o seu blog com entusiasmo e interesse!

Grande abraço!

Cesinha Chaves disse...

Olá Jorge, encaminhei os contatos de Copacabana por email! Boa sorte, sempre!!!

blogwish disse...

Bom dia Cesinha,
Parabéns pela questão, sempre tive essa dúvida.
Mas vamos ver se eu entendi: escrito em chinês e lido em japonês, correto?
Obrigada,
Eliane de Brasília

Cesinha Chaves disse...

Escrito em Chinês e lido na pronúncia chinesa, seja em japonês, português ou a língua que for - a pronúncia é sempre a mesma.

Elzinha disse...

Ola,

Primeiramente gostaria de agradecer pelo maravilhoso Blog.
Estou amando seu blog,
Achei Ontem e Nao parei de ler are agora. Gostaria de dividir minha esperiencia nesse assunto do Gongyo traduzido( a maneira da pronuncia) .
Me converti ao Budismo a 13 anos a traz. Amo tudo a respeito.
Depois de 3 anos ter me convertido, resolvi me aventura e vir para Londres.
Quando cheguei aqui Nao Sabia falar Oi em ingles, nadinha nem uma palavra em ingles. Mesmo assim com todas dificuldades conversando aqui a Li e procurando o Budismo de Nitirem, gostaria de participar de reunioes como ainda era muito nova prescisava de achar alguem p conversar sobre o Budismo .
Levou alguns meses Mas achei uma reuniao .
Quando cheguei la, meu Deus todos tentava communicar comigo, Mas por causa da barreira da lingua fiquei muito contragida, Nao entendi a nada. Quando chegou a hora do daimoku e Gongyo foi um arrepio so, todos incluindo eu num so ton pronunciavamos o Daimoku e Gongyo. Foi uma esperiencia muito bonita e de arrepia, tinha muitas nacoes diferente, Mas na hora do daimoku foi uma lingua so.
Foi onde sem duvida Tirei minha Ultima duvida a respeito do Budismo. Nao importa a cor, a raça, o pais, a class social, lingua, onde estaremos reunido praticaremos num so ton e uma ligua mundia.

Beijos

Anônimo disse...

Por que o gongyo tem que ser falado em outra língua e não a de cada pessoa que recita?
Tem pessoas que nem sabem o que estão falando...

Cesinha Chaves disse...

Caro Anônimo, segundo nos informa Nichiren Daishonin:
“Um bebê não sabe a diferença entre a água e o fogo, e não pode distinguir o veneno do remédio. No entanto, ao sugar o leite, sua vida é nutrida e sustentada. Da mesma forma, mesmo que uma pessoa não seja versada nos sutras, se ouvir mesmo um caractere ou frase do Sutra do Lótus, não deixará de atingir o Estado de Buda.” (Gosho Zenshu)
No livro “Preleção dos Capítulos Hoben e Juryo”, consta:
“(...) quando estamos realizando o Gongyo ou recitando o Daimoku, estamos nos expressando na linguagem do mundo dos budas e dos bodhisattvas. Mesmo que os senhores não compreendam o que estão dizendo, suas vozes com certeza atingem o Gohonzon, todos os "deuses" budistas e todos os budas e bodhisattvas das três existências e das dez direções; e, em resposta, todo o Universo envolve os senhores com a luz da boa sorte.”
Logo, os benefícios oriundos da recitação constante do Daimoku e Gongyo (todas as manhãs e noites), se manifestarão natural e infalivelmente, ainda que seu significado não seja compreendido racionalmente. Mas isso não impede que se estude o significado do Sutra, pois deve-se lembrar que um dos tripés da prática do budismo é o Estudo.
De acordo com o Buda Shakyamuni: “A vida não é um mistério a ser desvendado, é uma experiência a ser vivida.” Sendo assim, os benefícios advindos da prática do Daimoku e do Gongyo não podem ficar apenas limitados a palavras, precisam ser experimentados e comprovados na prática.
A recitação do Gongyo é uma das cerimônias mais bonitas do budismo Nichiren e quando ouvimos sua tradução, percebemos quão encantadora é a benevolência e a sabedoria do Buda Sakyamuni. É emocionante saber que são aquelas palavras que recitamos todas as manhãs e noites
Aqui tem um link para um vídeo com a tradução em Português do Gongyo:
https://vimeo.com/77338703
Aqui tem a tradução "linha por linha" http://www.budanaweb.com/2008/08/o-gongyo-e-sua-traduo.html

Anônimo disse...

Obrigado!!

Katia Kuskowski disse...

Estou impressionada!! Obrigada por compartilhar conhecimento Cesinha. Eu nasci no budismo, mas como parei de frequentar as reuniões e/ou recitar o daimoku e gongyo quando eu tinha 15 anos, não me recordo exatamente o que eu estudei quando era criança. Há 1 ano e meio me mudei para os Estados Unidos e aqui estou retomando a prática, mas sei que preciso estudar muito para adquirir conhecimento sobre o budismo. Serei grata se continuar compartilhando seu conhecimento conosco. Obrigada!!